sexta-feira, 30 de novembro de 2012

LIFE&STYLE | Mudar de Vida, na 1ª pessoa

Hoje decidi fazer um post mais pessoal, que se inclui, portanto, no LIFE da rubrica. :) Andei em leituras de blogs de pessoas que, como eu, decidiram Mudar de Vida e fazer o que gostam como meio de ganhar a dita da vida. Fico sempre tão feliz quando tenho conhecimento de outros casos de pessoas que também arriscam e lutam pela sua felicidade, que me inspirou a contar em mais pormenor, a minha experiência. Espero que gostem. ;)

Eu Mudei de Vida porque sou uma insatisfeita crónica. Sim, eu assumo. Sou das que me queixava religiosamente todos os dias de tudo no meu trabalho. Levantava-me a custo da cama de manhã e a resmungar. Punha o pé no escritório a desejar que fossem horas de sair. À segunda-feira só queria que uma máquina do tempo me levasse num ápice para sexta-feira (ok, posso estar a exagerar ligeiramente mas romancear um pouco nunca fez mal a ninguém).

A verdade é que quando comecei a trabalhar "à séria" surgiram as minhas crises existenciais: "Ai trabalhar é isto?", "Mas tenho que passar aqui o dia todo fechada?", "E fazer coisas de que não gosto?", que normalmente levavam ao "QUERO SAIR DAQUI!", já a raiar um pouco o desespero. Comecei  aí a perceber que 8h do dia (sempre mais, na generalidade dos casos) é muito tempo, especialmente quando multiplicado pelas semanas, meses e anos da nossa vida, para se desperdiçar a fazer coisas de que não gostamos, a estar em sítios em que não queremos estar e a trabalhar e conviver com pessoas de quem não gostamos. Chamem-me esquisita, mas eu acho que trabalhar deve ser um prazer e não um suplício.

Acho que a insatisfação começou logo nos tempos de faculdade. Ora bem, eu sou licenciada em Publicidade e Marketing, pela ESCS (ótima escola!) e segui para uma pós-graduação em Gestão Estratégica das Relações Públicas. No entanto, entrei no ensino superior para o curso de Jornalismo. Escolhi este curso com a ideia romântica dos jornalistas heróicos e aventureiros dos filmes. Quando ao fim de dois anos descobri que a realidade não é bem assim, e porque achei que não tinha a paixão suficiente para exercer esta profissão, decidi mudar de curso. Como sempre fui uma pessoa bastante eclética e gosto de imensa coisa, de áreas bastante diversas - o que dificulta imenso - então muitas hipóteses me surgiram nessa altura. Mas decidi mudar para Publicidade e Marketing na mesma faculdade.

Acabei o curso e comecei o meu percurso de Estagiária em Permanência (um cargo novo que agora criaram). Trabalhei como consultora de comunicação, em marketing online e a fazer tudo o que era necessário num departamento de marketing, uma vez que eu era a directora, assistente e estagiária desse departamento. Aprendi bastante, principalmente da área de marketing online, essencial para aplicar nos meus projetos (atualmente também acumulo essas funções aqui), conheci pessoas fantásticas, mas, no geral, não gostei. Não gostei dos horários fixos, das tarefas rotineiras, de ter chefes (nunca gostei muito de seguir ordens, não é defeito, é feitio), de fazer coisas com que não concordava, etc. Enfim, percebi que o trabalho assalariado não era para mim. O que me levou a uma outra questão: eu já sabia o que não queria, faltava perceber o que queria.

Cheguei à conclusão, depois de muita auto-análise, de que queria trabalhar por conta própria, de que, entre muitas coisas, gosto de conversar e gosto de pessoas, gosto de ajudar, gosto de aprender sempre mais, gosto de escrever, gosto de imagem e moda e de que quero um dia-a-dia dinâmico. Óptimo, já não é mau. Entretanto, para me ajudar e para seguir o caminho que pretendia pesquisei formações e fiz uma Certificação Internacional em Coaching. E como resultado de querer trabalhar por conta própria, formei-me também em Consultoria de Imagem, na Blossom, e iniciei este projecto - LOOK A DAY, agora image consulting & coaching, a juntar as minhas duas áreas de eleição. Considero ainda num futuro mais ou menos próximo estudar Psicologia ou Sociologia ou Literatura ou ainda acabar o curso de Jornalismo, ou até todos (eu disse que era eclética e basicamente estou sempre a inventar). 

Ainda me descubro todos os dias, tenho dúvidas todos os dias, mas sei que estou a seguir o caminho certo, a experimentar fazer aquilo que acho que tem a haver comigo e que gosto. E, como está visto, eu gosto de muita coisa diferente. Não faz mal, também acredito que podemos fazer tudo. De momento, gosto imenso de dar formação, das consultas pessoais de Consultoria de Imagem e das sessões de Coaching e estou a adorar o blog. Escrever é mesmo uma coisa que me dá muito prazer e gostaria até de ser também blogger de profissão, seja isso o que for. Se chegar à conclusão de que afinal não gosto tanto de uma coisa como pensava, não há problema, pelo menos fiquei a saber.


Conclusão: 

É fácil e pacífico mudar de vida? Não, de todo. As ideias estão cá, a vontade também. Mas o rendimento não cai direitinho e compostinho na conta no final do mês. Não há garantias nenhumas de que as clientes aparecem e de que as ações que lanço irão funcionar. Muitas das vezes passo por mandriona porque prefiro trabalhar confortavelmente em casa e acordo tarde porque trabalho melhor à noite (mas é para o lado que durmo melhor, literalmente). E sinto muita incompreensão pelas pessoas que me são mais próximas, essencialmente - a minha mãe acha que eu devia ter um 'emprego normal' e que é certinho que vou acabar a viver debaixo da ponte e, noutros casos, sinto que a minha escolha põe em causa a 'não escolha' de outras pessoas que preferem continuar infelizes e a queixar-se mas não fazer nada. A hostilidade sente-se um bocadinho, mas também já aprendi a ignorar - porque se há coisa que é importante quando se toma a decisão de mudar de vida é nunca duvidarmos de nós. Acreditar sempre que tomámos a decisão correta e de que somos capazes de fazer aquilo a que nos propusemos

Mas se estou mais feliz do que quando trabalhava 'fora'? Muito mais, nem tem comparação. Trabalhar em casa para mim é ótimo, principalmente nesta altura de imenso frio. Computador em cima das pernas, mantinha, aquecedor, roupa confortável e com a companhia da televisão é o meu ideal de ambiente de escritório. Há quem ache muito solitário, mas eu gosto. Também porque não estou todos os dias em casa - ter as consultas com as clientes, os workshops e reuniões permite-me ter a diversidade e dinamismo no meu dia-a-dia de trabalho. Também é verdade que se acaba por trabalhar mais, porque seja à noite ou fim-de-semana, estou sempre a fazer alguma coisa relacionada com a LOOK A DAY, mas como é o meu 'bebé', o meu projeto com as minhas ideias, não parece trabalho e faço com todo o gosto. O objetivo era este: 'Choose a job you love and you'll never have to work a day in your life' e posso dizer que está mais do que cumprido.


Nesta altura de grande instabilidade e de muito desemprego, só queria passar a mensagem de que não devem baixar os braços. Por livre vontade ou por obrigação, mudar de vida e lançar-se com um projeto próprio é cada vez mais uma saída válida. Não é fácil, mas aos poucos, libertem-se da zona de conforto, dos medos, definam objetivos e sejam otimistas. Acreditar que tudo vai dar certo é meio caminho andado para dar mesmo! :)



Depois da leitura massudinha (estiquei-me um bocadinho...) fiquem com a musiquita da praxe quando se fala de Mudar de Vida e inspirem-se para começar bem o fim-de-semana, quem sabe já a iniciar a mudança! ;)


AUTO AJUDA DO DIA | Deixem o passado no sítio dele - lá atrás!



Ontem falei-vos aqui de se focarem no agora em vez de viverem num possível futuro imaginário muito mais perfeito que o presente. Hoje falo-vos de aproveitarem o aqui e o agora largando o passado. A vida é feita de mudanças e de escolhas e cada vez mais os acontecimentos se precipitam e parece que fomos atingidas por um tornado.

Pode ser o emprego que perdemos, o casamento que acaba, a figura fantástica que deixamos de ter depois de uma gravidez, etc. Devagarinho ou da noite para o dia a vida que conhecemos acaba. E às vezes é mesmo assim - um capítulo acaba para que a história tenha um novo recomeço. Invariavelmente, melhor. Porque o caos pode ser, justamente, caótico mas também, é, sem dúvida, uma oportunidade de crescimento e de auto-conhecimento preciosa. O problema é quando não olhamos para os momentos de mudança dessa forma. Quando lutamos com eles e ficamos lá no passado, porque achamos que lá é que era bom. Estava quentinho e aconchegante. Mas só achamos isso porque é o que conhecemos, a nossa zona de conforto.

O futuro é sempre incerto e depois de um tornado sabemos lá o que pode vir aí! Enfiar a cabeça na areia e teimar em voltar ao passado é muitas vezes uma saída bem mais fácil. Ficar fechada no quarto a carpir as mágoas pelo emprego maravilhoso que perdemos, pelo marido de sonho que nos trocou por uma loura estrábica, pelas calças tamanho 36 que já nem passam nos joelhos é uma forma de reviver e mantermos a ligação com o que perdemos. E porque nesta fase nos esquecemos de acreditar que muito melhores coisas virão. 

Não pensamos que esta pode ser a oportunidade ideal para nos lançarmos no nosso projeto próprio que há tanto queríamos e que até já estávamos fartinhas do 'ram-ram' de sempre do escritório. Não pensamos que afinal o marido de sonho até era um choninhas, afinal traidor, e que, por amor de deus, homens há muitos e bem melhores, sem dúvida. Não vemos com olhos de ver o nosso corpo como é atualmente, nas coisas boas que temos e como podemos aproveitar a nossa nova forma da melhor maneira e que podemos e devemos gostar de nós como somos.

Noutras vezes, somos nós que somos levadas a tomar decisões, a deixar coisas para trás que já não nos servem ou que até nos atrasam. Mas apesar de não estarmos bem, a incerteza da mudança e o medo que acarreta vence e deixamo-nos acomodar. Mantemo-nos na nossa bolha porque não nos lembramos de que há  coisas muito melhores à nossa frente do que aquelas que deixamos para trás.


Vivam a vida sem bagagem desnecessária - a viagem torna-se muito mais leve e solta! :)




GIVEAWAY LOOK A DAY | VENCEDORA da Pulseira infinto da In Secret We Met


O passatempo acabou às 23:59 de ontem, dia 29, e de entre 133 participações foi sorteado um/uma vencedor/a. Foi uma sortuda que ganhou esta pulseira linda da In Secret We Met: a Nádia Santos!! Parabéns! ;) Será informada por email.

Obrigada aos restantes pela participação e melhor sorte para a próxima! ;)



LOOK DO DIA | Casacos Cocoon - como usar


Não sei se já repararam mas está frio que se farta. Um gelo que não se pode. Uma frescura que incomoda. Isto é situação para exigir um bom casaco de Inverno. Uma ótima opção, tendência, pelo menos, desde a estação passada, são os casacos Coccon. O nome vem justamente de terem um ar de casulo, devido à sua forma direita e arredondada, como podem ver no belo exemplar vermelhão do Look do Dia.

A tendência tem origem nos anos 50 e o revivalismo tem um look bem oversized com proporções avantajadas. Para quem gosta do estilo confortável, mas feminino ao mesmo tempo, apesar de as formas não serem, de todo, marcadas, um casaco cocoon é a escolha certa.

No entanto, há que ter alguns cuidados ao usar este tipo de casaco, já que a forma de casulo dá, justamente, volume extra e não sendo ajustado, vamos mesmo parecer maiores. Para mulheres com mais volume e muito baixinhas, se este tipo de casaco for muito comprido, não vão sair muito favorecidas. Mas não há nada como experimentar sempre e comprovar no nosso corpo se funciona ou não. Podemos contornar um pouco isto, usando um cinto para o estreitar e colocando uns saltos para alongar. E convém usar com peças por baixo que não tenham muito volume, como por exemplo, umas skinny jeans em vez de umas calças largas, para contrabalançar com o volume do casaco e não juntar demasiada amplitude no mesmo look, que não nos vai fazer maravilhas.


Eu tenho um casaco Cocoon apanhado nos saldos do ano passado e já vai no segundo Inverno a acompanhar-me e tem sido um bom parceiro - super quentinho e confortável, que enrolo à minha volta quando a aragem fria não dá descanso. E gosto imenso do efeito visual super clássico e futurista ao mesmo tempo que dá. E vocês, gostam?



quinta-feira, 29 de novembro de 2012

LIFE&STYLE | Bimba & Lola lookbooks para mais inspiração de looks de inverno

Ora aqui vão mais umas inspirações de looks de inverno bem arrojados, cheios de cor e padrões em misturas e camadas bem agradáveis à vista. A Bimba & Lola é mais um bom local de inspiração e de aquisição, se tiverem orçamento para isso. E os acessórios são os protagonistas no styling da marca espanhola e também o devem ser nos vossos looks do dia, para adicionarem mais interesse. ;)







































AUTO AJUDA DO DIA | Não vivam à espera, decidam ser felizes AGORA!


É bom ter sonhos, objetivos - idealizarmos o nosso futuro, fazermos planos e delinearmos uma estratégia para os atingir. Não é ficando à espera sentadas que atingimos e realizamos o que queremos. Mas o futuro deve ser apenas um vislumbre que lhe damos de quando em quando, o nosso foco não se deve manter lá senão perdemos o que se passa à nossa volta no agora. A concretização dos sonhos seria o cenário de uma vida perfeita mas e se nunca se concretizarem? Deixamos de viver uma vida perfeita? Deixa de ter interesse? Não me parece.

A vida já é maravilhosa agora, como é - com o que temos e como somos. E se estivermos presentes ela surpreende-nos sempre. Devemos ser felizes e estar contentes no agora, dar valor às pequenas coisas  - ao sol lindo que brilha lá fora, à sorte de termos um aquecedor com este frio, à mensagem super fofa que receberam do namorado hoje, ao reflexo que vêem no espelho todos os dias, etc.

Mas o que acontece, na maioria das vezes, é que vivemos à espera. Sim, estamos numa interminável fila da Segurança Social da Vida, com a senha nº 99 e ainda vai na nº5. E em vez de irmos dar uma voltinha, beber um café, ou resolver outros assuntos, ficamos teimosamente e impacientes à espera do nossa vez, e em pé, que ainda por cima cria varizes. :) Pronto, é uma alegoria mas acho que perceberam o sentido. :)

Quantas de vocês vivem à espera? 'Só serei verdadeiramente feliz quando vestir o 36 e tiver x quilos!'. 'Só viverei bem quando ganhar €2000 por mês!'. 'A minha vida só terá significado quando o meu príncipe encantado aparecer!'. Familiar? Pois, estar à espera é um desperdício de tempo. Podem ser felizes agora, a vestir um 40, com €700 por mês e solteiras. Sim, basta decidirem que querem ser felizes e focarem-se nas pequenas coisas boas da vossa vida. Porque ela não tem que ser perfeita para ser maravilhosa. A decisão é vossa! ;)



LOOK DO DIA | As melhores lojas com tamanhos grandes para mulheres plus size


Há uns tempos tive uma cliente que podemos considerar plus size. Ou melhor, não podemos mas é isso a que as lojas obrigam - ela veste o 44/46 e digamos que não é de todo fácil arranjar estes tamanhos nas lojas comuns. Até para quem veste um 40 - o tamanho mais comum da mulher normal - é bem difícil. Já aconteceu inclusive uma cliente que vestia o 38/40, na Zara, o L, que é incrivelmente o tamanho máximo que existe em muitas peças, não lhe servir. Senhores das marcas, vamos, se faz favor, incluir e não excluir.

Daí que surgiu a necessidade de dar a conhecer à minha cliente lojas e marcas que tivessem tamanhos grandes e cuja lista vou deixar aqui também, já que pode ser útil para vocês aí desse lado:


  • H&M - é das únicas marcas de fast fashion mais acessível em termos monetários e de disponibilidade de lojas que tem tamanhos grandes;
  • Elena Miró - marca italiana de tamanhos grandes, presente em muitos centros comerciais. Os preços não são muito acessíveis e dirige-se a uma mulher mais madura;


Lojas online com tamanhos grandes:

  • Castalunamarca exclusiva de tamanhos grandes da La Redoute;
  • Vencamarca em Portugal do grupo 3Suisses Internacional.


Recomendo, também, que visitem o blog Mulher XL que, como o nome indica, se dedica exclusivamente a mulheres plus size. Abordam também questões de imagem úteis para quem tem um tamanho maior. Organizam, inclusive, concursos da Gordinha mais sexy! :)


Ah! Com a imagem de look do dia a ideia é sempre ilustrar a dica e não posso dizer que a menina da fotografia seja gordinha, mas é o menos escanzelada que se encontra nas imagens de streetstyle. E gostei tanto do look que ficou esta. Linda a saia, não?! :)



quarta-feira, 28 de novembro de 2012

LIFE&STYLE | Mercado Salto Alto - venda de roupa em segunda mão pela Dress for Success








  • É já amanhã que começa um evento muito interessante e por uma boa causa. O Mercado Salto Alto é uma venda de roupa em segunda mão organizada pela associação Dress for Success e o objetivo do mercado é, justamente, angariar fundos para a associação. Os preços vão variar entre €1 e €15.
  • A Dress for Success ajuda mulheres desempregadas em entrevistas de emprego, auto-estima e motivação. Uma das formas é disponibilizar-lhes, de forma gratuita, a roupa adequada para ir a uma entrevista de emprego.

    Os fundos obtidos pela angariação irão ajudar na criação de um Centro de Carreira e a realizar formações gratuitas para as mulheres que pedem ajuda à associação. Podem obter mais informação em www.vestidasparavencer.com.

O Mercado Salto Alto irá realizar-se no Palácio Quintela, na rua do Alecrim, no Chiado, e contará ainda com várias atividades gratuitas, mediante inscrição para o email vestidasparavencer@gmail.com:

  • Dia 29 de Nov. às 18h00 - "Como organizar o seu roupeiro" com VS Organizar - Consultoria de Organização;
  • Dia 30 de Nov. às 15h00 - Marketing da Mulher com Vanda Neves;
  • Dia 01 de Dez. às 15h00 - Workshop de Maquilhagem com Elle est Belle Maquilhagem.


Visitem o Mercado Salto Alto e aproveitem esta boa oportunidade de começarem já a investir nas prendas de Natal sem gastar muito, ajudando ao mesmo tempo. ;) E se estão desempregadas, aproveitem também para conhecer a associação de perto e saber como vos pode ser útil nesta fase.



AUTO AJUDA DO DIA | Substituir o foco no negativo pelo pensamento positivo


'Vai-se andando!' 'Menos mal!' 'Mais ou menos.' Estas podem ser clássicas respostas tipicamente 'tugas' à pergunta 'Tudo bem?' que ouvimos com regularidade. É raro ouvir 'Está tudo ótimo', 'Não podia estar melhor' ou 'Vai tudo de vento em popa'. E se a conversa se prolongar o rol de queixas é certinho - somos prós em debitarmos grandes discursos sobre o que nos aborrece na vida - as pessoas, as situações e todos os grandes e pequenos acontecimento que, supostamente, nos puseram infelizes, tristes ou depressivos.

Supostamente, porque ninguém nem nada nos pode fazer infelizes a menos que o permitamos. Não é a situação nem nenhuma pessoa específica que espoleta esses sentimentos, mas sim a forma como escolhemos ver e entender a situação. Por isso, quando falamos apenas dos nossos problemas e nos sentimos mal por isso, sentimo-nos assim porque escolhemos que fosse esse o nosso foco de atenção. Se decidirmos que apenas vamos olhar para as nossas alegrias e aquilo que de bom acontece na nossa vida e valorizar as pessoas fantásticas que fazem parte dela, os sentimentos automaticamente também mudam, assim como o nosso humor e de quem nos rodeia. Experimentem, a sério. Nunca subestimem o poder do pensamento positivo - 'break the habit. Talk about your joys.' :)



LOOK DO DIA | Calções no inverno? Yes, you can!


Os calções estão, definitivamente, de volta ao nosso guarda-roupa. Mais curtos, mais compridos, justos ou larguinhos, é à vontade da freguesa. No Verão muitas de vocês já devem ter adotado não só como look de praia, e muito bem. A pernoca fica mais à mostra, daí que quem tem boas pernas para isso, é uma boa peça para se apostar e usar algo de diferente. Mas meninas, usem sempre aquilo que vos favorece, por isso, com calções há mesmo que ter boa perna - quem tem mais volume na zona das coxas, não é boa ideia - uma saia é melhor opção. E quem se faz acompanhar da bela da celulite, como eu, também deve deixar passar os calções, no tempo quente. Uma pena, porque gosto bastante de ver - mas o desejo de usar calções ainda não foi suficiente para me fazer deixar de comer porcarias e fazer exercício a sério. :p Em 2013 é que é! :)

Mas, chega o Inverno, e todos estes problemas de dissipam. Porque existem as maravilhas de seu nome: collants opacos! Pois é, com collants opacos toda a perna fica apresentável, até as minhas, e os calções podem entrar no guarda-roupa de um leque mais alargado de meninas. Não emagrece por aí além as coxas mas a celulite fica escondida, exatamente onde deve de estar, que ninguém merece levar com ela. :)


Fiquem, assim, com umas dicas de como usar, da melhor forma, calções no tempo frio:

  • Para criarem um efeito de maior alongamento usem collants dentro do mesmo tom do calção e também dos sapatos, para prolongar ainda mais - indicado para meninas com pernas mais curtas, especialmente.
  • Escolham o modelo que melhor se adequa à vossa estrutura e tipo de corpo - se têm as ancas mais largas e rabo generoso evitem calções com muitos volume ou pregas; se por outro lado têm pouca anca apostem em calções mais largos, como os da imagem, para equilibrar melhor com uns ombros mais largos; se têm uma barriguita proeminente apostem em calções com estrutura e de cintura alta, ótimo para conter essa zona.
  • Combinem materiais diferentes - por exemplo, uns calções em pele com uma camisa de seda e camisola de malha - e cores e padrões improváveis, para criar um look mais rico e atual.


Há por aí orgulhosas utilizadoras de calções no inverno?





terça-feira, 27 de novembro de 2012

LIFE&STYLE | About.me - nova ferramenta online útil na procura de emprego

A nossa imagem é o nosso cartão de visita - comunica quem somos e representa visualmente a nossa identidade. Daí a grande importância que dou ao trabalho que faço como consultora de imagem. Ter uma boa imagem que nos represente convenientemente é ainda mais importante nos dias de hoje, principalmente a nível profissional. Muitas pessoas estão desempregadas, a mudar de carreira ou a começar o seu negócio e certamente querem que a sua imagem comunique a mensagem certa na primeira impressão, em que a parte visual é o que mais salta à vista, literalmente. 

Mas a nossa imagem passa por muitos outros meios. Um deles é o online. Há muitos trabalhos que são já exclusivamente online e grande parte da nossa vida se passa também na rede. A nossa presença na web é pesquisada por futuros empregadores e é bom que ela nos faça jus também. A internet permite-nos, para além de tudo, aceder a novas formas de nos candidatarmos a empregos, de chegarmos às empresas e de 'vendermos' da melhor forma os nossos talentos, quando as vias normais de arranjar trabalho já não são suficientes.


Por isso, apresento-vos uma nova ferramenta que cumpre bem este objetivo - o About.me. É um serviço gratuito que vos permite criar uma espécie de site ou página online bem apelativa e que é só sobre vocês e os vossos interesses. Uma espécie de currículo online que entra numa rede e onde podem ser encontrados por possíveis empregadores ou parceiros já que se podem associar a palavras-chave de acordo com as vossas competências. Permite que partilhem a vossa fotografia, uma breve biografia e as redes sociais onde estão presentes, para que possam mostrar ao mundo o retrato geral de quem são. E ainda podem personalizar o fundo - uma das hipóteses é criar um painel com as vossas fotos do Instagram, que foi o que fiz, e ficou bem giro! :)


E porque se trata de emprego, de fazer face ao desemprego, aos novos tempos e de nos conseguirmos reinventar, sugiro que vejam o vídeo do programa Momentos de Mudança da SIC desta semana, sobre Empreendedorismo, com Miguel Gonçalves, o homem do 'bater punho'. Vale a pena! ;)

AUTO AJUDA DO DIA | Abdicar da necessidade de ter razão para ser feliz
















Neste post que já virou viral na internet e que faz uma passagem pelas 15 Coisas de que Devemos Abdicar para sermos Felizes, uma delas e primeiríssima é, justamente, abdicar da necessidade de estar sempre certo.

Quem já não discutiu até à morte só para provar que está certo? Quem não se debateu com todas as armas verbais de que dispõe? Eu já, várias vezes. Sou um verdadeiro caso crónico da necessidade de estar certa. Quando sei que tenho razão (que é sempre, eheh) uso todo o meu poder argumentativo para fazer valer a minha posição e, não sei se é a sensação de ganhar ou da discussão em si, mas é coisa de que gosto. Há quem lhe chame também teimosia, eu prefiro perseverança. :) Funciona muito bem quando do outro lado está uma pessoa igualmente perserverante (teimosa) e que também tem toda a certeza do mundo que tem razão. Not. Na realidade, só pode resultar mal e é isso que acontece sempre.

E se são como eu, esta frase de Wayne Dyer, irá deixar-vos a pensar: Would I rather be right, or would I rather be kind?” 

Definitivamente a segunda opção, mas para isso temos mesmo que abdicar da necessidade de ter sempre razão. E mesmo que juremos a pés juntos, pela virgem Maria e pelo nosso cão de que estamos certos, na maioria das vezes, devemos abdicar da discussão e dessa luta inglória. Porque essa necessidade pode acabar com muito boas relações e causar grandes níveis de stress e dor, tanto para nós como para os outros. Porque numa discussão pela razão só podemos perder - quando temos razão e quando não temos. No primeiro caso porque ferimos o ego e o orgulho e ganhamos ressentimento do outro lado que perde, no segundo caso é o nosso ego que fica em bocadinhos com a derrota.

Por isso, escolham sempre a gentileza e a felicidade, vossa e dos outros, sobre a necessidade de estar certo. Acreditem em mim, que eu é que tenho razão! ;)


LOOK DO DIA | White Winter - apostem no branco e cores claras também na estação fria


Já lá vai o tempo em que o Inverno e tempo frio era sinónimo apenas de preto e cores escuras. Tem uma razão de ser, já que as cores escuras absorvem o calor e, daí, mantêm-nos mais quentes. Mas as cores e os básicos mais claros não estão interditos na estação fria. Nem aquelas calças de ganga branca que antes só usavam no Verão. Saiam do 'normal' e apostem em looks com mais luz e conjugação de claros, também no Inverno. Na zona do rosto, os tons mais claros favorecem, no geral, sempre mais e o resultado é de uma elegância mais atual e própria de uma mulher bem segura de si que não se esconde na segurança do preto. ;)

Inspirem-se na imagem de look do dia de hoje! Gostam? :)



segunda-feira, 26 de novembro de 2012

LIFE&STYLE | Street Advertising Takeover - mupis são feitos reféns da arte para pensar

E se o espçao publicitáio de rua fosse a melhor via para passar mensagens não comerciais? É isso que faz o Street Advertising Takeover (SAT). O SAT é um projeto civil de desobediência não violenta e a larga escala. O movimento teve origem e foi organizado pelo artista Jordan Seiler, residente em Nova York. A ideia é tomar de assalto espaços públicos de publicidade, como mupis, e substituir os anúncios por arte. O primeiro Street Advertising Takeover teve lugar em Nova York em 2009. Entretanto, já chegou a Toronto em 2010 e a Madrid, aqui ao lado, em 2011.

A arte substituta é sempre pautada por frases provocadoras, irónicas, para deixar a pensar ou roubar um sorriso. Gostei da ideia. Será que chega a Lisboa? :)





















































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...