segunda-feira, 30 de setembro de 2013

LOOK | O grande segredo para saber introduzir e coordenar cores nos looks de forma atual

www.pinterest.com/lookaday/style/


Por aqui está-se numa fase de mudanças, literais, e , por isso, o tempo está temporariamente mais contado, mas para não ficarem sem conteúdos dos bons, ficam com a reposição de artigos antigos! ;)


A grande dúvida de estilo que tanto as clientes como as participantes dos workshops me colocam tem que ver com a conjugação de cores. Há muito medo de arriscar e de se estar a cometer erros gravíssimos no mundo da coordenação cromática. O meu apelo é sempre de que retirem da ideia de que há regras rígidas no que diz respeito a juntar as cores. Não há! Ninguém vai para o inferno se juntar verde com azul, acreditem. Aliás, o diabo até vos piscará o olho em sinal de aprovação. ;)

O que é que há, no entanto, em termos de supostas regras de conjugação de cores? A atualidade. Ou seja, a moda evolui e com ela vão surgindo novas formas de usar as cores que fazem a diferença entre parecermos modernas e parecer que viemos de uma viagem do tempo diretamente dos anos 80, por exemplo. Na prática, se nessa altura juntar preto com tons fortes como um rosa choque era o que estava a dar, hoje em dia, fica mais elegante e, justamente, atual, conjugar o preto com outros tons dentro da mesma família, como os cinzas ou com outros tons escuros e baços de inverno, como o bourdeaux, o azul escuro, o verde escuro, etc. Enquanto que os tons abertos e vivos ficarão melhor com neutros mais claros como o branco, o cinza ou o nude ou conjugados entre si com outros tons vivos e fortes.

www.pinterest.com/lookaday/style/


É um chavão comum de que as mulheres portuguesas não dedicam tanta atenção à sua imagem como as vizinhas espanholas ou italianas. Que optamos, na maioria das vezes, pelos tons neutros, a típica combinação de jeans + camisola básica e a regra é andar de cara lavada, enquanto as nuestras hermanas apostam todas as suas fichas estilísticas em cada look do dia-a-dia. Mas essa tendência está, definitivamente, a mudar. Cada vez mais as mulheres portuguesas, as clientes que chegam até mim, procuram cuidar mais de si, ganhar confiança e que essa atitude se traduza num estilo mais arrojado - diferenciado e o oposto do mesmo de sempre. Uma das formas de sair, então, da zona de conforto e marcar a diferença com o estilo é apostar no uso da cor. E podem fazê-lo das seguintes formas:

  • Se a vossa 'farda' habitual se pauta pelo uso dos neutros - preto, cinza, castanho, beje  etc, comecem com baby steps e introduzam pequenos focos de cor. Como?  Apostando, por exemplo, em acessórios coloridos. Mantenham o look neutro e conjuguem, por exemplo, com uma mala rosa forte, ou adicionem uns sapatos amarelo mostarda ou então um colar bold em verde menta. Gradualmente, podem até juntar estes três elementos coloridos no mesmo look;

www.pinterest.com/lookaday/style/


  • Se estão prontas para arrojar a sério apostem nas cores nas grande peças de roupa - insiram uma blusa amarela ou umas calças verdes no seu guarda-roupa. E se a vossa cor preferida é o rosa e o tom até vos favorece (um Teste das Cores resolve a dúvida), por que não um bom sobretudo de inverno nesta cor - se fizer sentido e for 'a vossa cara' não há regra nenhuma que diga que todas temos que ter os mesmos casacos de inverno pretos. Podem ainda sair completamente da zona de conforto e conjugar diferentes cores no mesmo look! :) 

www.pinterest.com/lookaday/style/


  • Dicas para conjugar cores e criar um look atual: 

O preto, hoje em dia, liga melhor com tons dentro da mesma harmonia, como os cinzas escuros e claros e todos os outros neutros. A conjugar preto com cores opte pelos tons mais escuros e baços, como o bourdeaux, o verde escuro, o azul marinho, e outros tons típicos de inverno. Os tons mais escuros combinados com preto resultam num look mais atual do que com tons mais claros ou fortes, como o vermelho 'à benfica' ou o rosa choque - o resultado são looks mais datados, estilo anos 80, como já disse atrás.

www.pinterest.com/lookaday/style/


As cores fortes e abertas resultam melhor se conjugadas com neutros mais claros, como o branco, o cinza ou o nude.

www.pinterest.com/lookaday/style/


A conjugar cores entre si combinem tons com a mesma intensidade. Ou seja, um fúschia forte com um laranja forte, como na imagem, ou um verde pastel com um azul pastel. Podem, no entanto, conjugar intensidades diferentes se dentro da mesma harmonia - diferentes tons de azul no mesmo look, por exemplo.

www.pinterest.com/lookaday/style/



E qual é, então, o grande segredo para saber conjugar cores de forma atual e moderna? Cultura visual. Vejam muita coisa. Olhem o que as pessoas usam na rua, os manequins nas lojas, as revistas de moda, blogs de estilo pessoais, os desfiles das apresentações das coleções... Reparem como as cores estão conjugadas e apreendam o que vos agrada e o que faz sentido para vocês. Tirem o retrato geral e reproduzam no vosso guarda-roupa. Isso pode fazer a diferença no próximo look - aquela camisola castanha até vai bem também com as calças pretas - e permitir que encontrem mais outfits possíveis no vosso armário do que imaginariam ter! ;)

www.pinterest.com/lookaday/style/



Por aí, os vossos guarda-roupa estão povoados de cor? Ou são mais cinzentões? Nada contra um closet neutro - eu gosto bastante e as peças nestes tons são capazes de ser mais versáteis - mas é verdade que a cor anima o espírito - o efeito psicológico da cor é um facto - e que cada tom comunica e transmite também diferentes sensações a quem nos rodeia. Para além de que diferencia um outfit, faz com que sobressaiam na multidão e pode ajudar a definir o vosso estilo pessoal! :)



domingo, 29 de setembro de 2013

LOOK A DAY news | O Style in Store @Innocenza de 28 de Setembro foi assim!

Este sábado, dia 28, foi dia de mais uma edição do workshop Style in Store @Innocenza. Esta foi a 11ª edição deste que é o mais fantástico e inovador workshop de imagem e estilo pessoal! :) Desta vez teve a novidade de ter sido realizado na nova loja Innocenza no Atrium Saldanha - já visitaram?

Foi mais uma manhã bem passada, cheia de atividade e partilha entre as participantes. O meu muito obrigada à Ana Lúcia, Sónia, Lina e Adriana pela participação animada! :)

Ainda um agradecimento à Carla, da Innocenza,  que é também a fotógrafa de serviço, mas que eu também apanhei muito bem numa das fotos que podem ver em baixo! ;)


E como é da praxe, aqui fica o registo fotográfico do evento, incluindo o resultado de mais um mini-makeover:



A coleção de outono está mesmo, mesmo apetecível e já sabem que aqui impera a variedade e não a quantidade. Se querem encontrar peças únicas, daquelas que ninguém tem, procurem na Innocenza.

A Carla não é do mais gira que há?! :)

Keep calm... que o workshop estava a decorrer na perfeição! :)


As participantes já a atacar as roupas da loja, em exercício.

Diz que falo muito com as mãos mas nem faço ideia do que poderia estar a explicar assim!! ahah De certeza que era algo muito adequado! :)

A Ana Lúcia, a voluntária para o mini-makeover - ANTES! Tem um biótipo em formato de pêra, muito ligeira.

Também a servir de cobaia para a mini-aula de maquilhagem, aqui já na fase do esfumado...

E o DEPOIS com o look que a própria Ana escolheu tendo em conta as caraterísticas do seu biótipo - o decote em V alonga e o blazer dá mais estrutura aos ombros e acentua a cintura, equilibrando a figura. :)


Testemunhos das participantes:

"Adorei a experiência! Fiquei a conhecer o meu biótipo. Certamente será mais fácil ir às compras. É uma experiência a repetir, obrigada!"
Adriana José

"O workshop fez-me perceber qual a minha silhueta. De facto, se tivermos uma base conseguimos fazer conjugações que antes nem sabíamos que eram possíveis. O ambiente é agradável e acolhedor, e as participantes parecem que se conhecem há séculos porque todas têm os mesmo problemas quando chega a hora de vestir. É uma experiência que recomendo!"
Lina Leandro

"Gostei muito do workshop. Foi interessante falar das cores e do tipo de corpo de modo mais aprofundado. Achei a parte prática essencial e muito pertinente pois ajuda-nos a confrontar os próprios obstáculos. Parabéns!"
Sónia Teixeira




Ainda não há uma próxima data prevista do workshop Style in Store @Innocenza por fiquem atentas às novidades para agarrarem o vosso lugar assim que uma nova data for comunicada! ;)




sexta-feira, 27 de setembro de 2013

LOOK&FEEL | O que é a Beleza? Breve dissertação sobre os padrões de beleza feminina e do corpo (bis)


Por aqui está-se numa fase de mudanças, literais, e , por isso, o tempo está temporariamente mais contado, mas para não ficarem sem conteúdos dos bons, ficam com a reposição de artigos antigos! ;)


No workshop de Imagem Pessoal da LOOK A DAY, Style in Store @Innocenza, em que abordo, na sua grande maioria, a questão dos diferentes tipos de corpo (os biótipos) e as suas características, começo por fazer uma breve introdução acerca do que afinal é a Beleza e o que é considerado belo num corpo feminino. Porque é sabido que as noções de beleza não foram estanques ao longo da História, então, hoje em dia, em termos de aparência e corpo feminino, o que é belo? Quais os padrões por que nos regemos?

A Beleza não é mais do que um processo cognitivo e uma experiência pessoal relativamente àquilo que nos agrada de forma particular e decorrente da forma singular como a experimentamos. "O conceito é humano, mas as suas expressões são próprias da natureza, pois em parte está assente sobre directrizes biológicas que são activadas em inúmeras espécies superiores de seres vivos, como por exemplo, as aves e os mamíferos. Através deste aspecto, a beleza pode ser compreendida como elemento importante no processo evolutivo das espécies em questão. Até então, a beleza pode ser mensurável, já que está subordinada a padrões específicos. Mas no universo humano, ela não se resume a isso." (wikipedia) Um conceito bastante amplo e pouco definido, portanto.

Em termos humanos, ao longo da História, então, têm havido diferentes noções de beleza e definições daquilo que é considerado belo. Apesar de hoje em dia a beleza estar muitas vezes associada ao que é fútil, a verdade é que desde os tempos mais antigos, o belo é algo a considerar e a que se aspirava – em todos os sentidos. No livro de Umberto Eco, a História da Beleza - uma obra ilustrada com mais de 600 imagens de obras-primas de todos os tempos que servem para reconstituir as várias ideias de Beleza que se manifestaram e foram objecto de discussão desde a Grécia Antiga até hoje, Eco diz que a noção de Beleza varia de cultura para cultura e de época para época e que desde sempre há uma estreita ligação entre o Belo e o Bom. Aquilo que nos agrada, que é agradável ao olhar mas que também gostaríamos de possuir. Este é um livro muito interessante que recomendo a todas a, pelo menos, passarem os olhos. Para além da História da Beleza, Umberto Eco também se dedicou a estudar a dimensão do Feio, um conceito consequente e indissociável da Beleza.


Contudo, apesar de a noção de Beleza se variável, há pontos em comum e teorias a que se chegou neste campo da Beleza. "Há evidências de que a preferência por rostos bonitos surge no início do desenvolvimento da criança, e que os padrões de atractividade são similares aos diferentes sexos e culturas. simetria é também importante, pois ela sugere a ausência de defeitos adquiridos ou genéticos.

Homem Vitruviano - de Leonardo da Vinci -
conceito renascentista racional e
antropocêntrico sobre a beleza

Embora o estilo e a moda variem amplamente, pesquisas com diferentes culturas encontraram uma variedade de pontos em comum na percepção das pessoas sobre a beleza. A mais antiga teoria ocidental de beleza pode ser encontrada nas obras dos primeiros filósofos gregos a partir do período pré-socráticos, tais como Pitágoras. A escola pitagórica viu uma forte conexão entre matemática e beleza. Em particular, eles observaram que os objetos com medidas de acordo com a proporção áurea pareciam mais atraentes. A arquitetura da Grécia Antiga é baseada nessa visão de simetria e proporção.


Platão considerava que a beleza era a ideia (forma) acima de todas as outras ideias. Aristóteles viu uma relação entre o belo e a virtude, argumentando que "A virtude visa à beleza." (para saber mais, vejam aqui).

Podemos ver, então, que no no Corpo há a noção de belo, daquilo que é considerado bom visualmente e que está associado a uma noção de proporção e harmonia. No entanto, ao longo dos tempos, houve diferentes noções de beleza do corpo feminino – durante séculos foram mais valorizadas as rechonchudas, nos anos 50 estava em voga uma silhueta magra, nos anos 90 as super modelos, anos 80, as atléticas. Hoje em dia uma silhueta de peso médio e aspecto saudável é o considerado normal. Mas no geral, o que se busca sempre é essa harmonia das proporções. O que se quer é um corpo proporcionado, feminino e harmonioso
Campanha pela Beleza Real da Dove - diferentes tipos de corpo, uma beleza





O estudo dos biótipos permite perceber que nem todos os formatos de corpo são proporcionados mas aprender a vestir de acordo com os biótipos, que é o que faz a consultoria de imagem, é esse o objectivo que tem – alcançar uma figura proporcionada e equilibrada. No geral, um corpo feminino considerado belo tem um equilíbrio entre as ancas e ombros, com cintura definida. Mas a diversidade de corpos é imensa. A boa notícia é que através da roupa qualquer pessoa pode obter uma figura harmoniosa e equilibrada, com que se vai sentir melhor e ao mesmo tempo, passar uma imagem mais agradável para o exterior.




Em jeito de conclusão:

“a beleza está nos olhos do apreciador e o belo varia conforme a sociedade e a cultura de cada época”
Contudo e enquanto consultora de imagem, que contacta e lida de perto com muitas mulheres, acredito também numa dimensão altamente psicológica no que diz respeito à própria beleza. O nosso olhar sobre nós mesmas por vezes consegue ser mais variável e distorcido que séculos e séculos de história! E a noção de auto-beleza tem uma ligação estreita com a confiança e a auto-estima, pelo que, a roupa certa que proporciona a harmonia de proporções e uma imagem exterior que nos favoreça e nos identifique vai abrir caminho para que nos sintamos bem connosco e nos sintamos bonitas - porque, sem dúvida, a beleza vem dentro.

“Nothing makes a woman more beautiful than the belief that she is beautiful" Sophia Loren



E para vocês, o que é a Beleza? :)



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

FEEL | 15 perguntas poderosas que te ajudam a perceber o que gostas realmente de fazer(bis)


Por aqui está-se numa fase de mudanças, literais, e , por isso, o tempo está temporariamente mais contado, mas para não ficarem sem conteúdos dos bons, ficam com a reposição de artigos antigos! ;)


O meu lema é de que trabalhar deve ser um prazer e algo que ansiamos por fazer e não por escapar. Right? E cada vez mais me chegam clientes de Coaching com esse mesmo objetivo de encontrarem o seu propósito e um caminho profissional por que sejam apaixonadas. Para isso, é necessário enveredar pelo auto-conhecimento e descobrir os nossos talentos e paixões.

O que é que eu realmente gosto de fazer?

Esta foi uma pergunta que eu me cansei de fazer a mim mesma vezes e vezes sem conta. Parece que não foi assim tão estafante, porque ainda hoje continuo a fazê-la. Já não tão frequentemente, mas acho que é sempre bom continuar a perguntar-me isto, nem que seja para verificar se realmente estou a fazer o que deveria estar a fazer, ou seja, aquilo de que gosto. É que às vezes desvio-me do caminho. Acontece. Mas há que lutar para voltar ao trilho certo.

Aparentemente até parece uma pergunta simples, não é? A pergunta até pode ser, mas a resposta nem sempre. 

Com o passar do tempo, ao crescermos, tornarmo-nos adultos, ao começar a trabalhar, a ter responsabilidades, por vezes vamos seguindo uma via que nos é confortável, necessária ou até imposta. Às páginas tantas damos por nós enfiados numa vida que nunca imaginamos que seria a nossa. Pelo menos não enquanto miúdos que sonhavam ser astronautas e aventureiros, que sonhavam sem preconceitos com a vida ideal para eles.

Acredito que há muitas pessoas que acham que o trabalho não é suposto ser divertido nem agradável, certo? Por isso é que se chama trabalho, dizem muitos. Pois...mas caramba, se assim for, estamos condenados a uma vida bem chata e de sacrifício. Quem disse que a vida tem que ser assim? Eu digo que não tem! E vocês só têm é que acreditar em mim. :)




Se deixares de lado a crença de que o trabalho tem que ser um pesado fardo a suportar vais descobrir aquilo em que acredito: que não só é possível ter paixão pelo trabalho que fazemos, como é muito mais fácil ganhar a vida desta forma. 

Mas primeiro, tens que descobrir o que realmente te entusiasma e excita (é só de trabalho que estamos aqui a falar, ok?). 

Muitsa vezes há imensas oportunidades de fazer o que gostamos mesmo debaixo do nariz, mas nós é que não reparamos nelas. Às vezes isto acontece porque não acreditamos que podemos mesmo fazer vida daquilo. Ou porque é algo tão natural para nós que nem nos apercebemos do fascinante que é.

O que acontece é que a maioria das pessoas nem sequer se permitiu a ter tempo suficiente para pensar sobre o que as apaixona. É verdade que há coisas mais prioritárias como levar o cão à rua, lavar a louça ou esparramar no sofá a ver televisão. Eu compreendo. 

No entanto, se queres e tens esperança em descobrir o que gostas realmente de fazer, então, tens de despender um bocadinho mais de tempo a pensar sobre isso. 


O que precisas de fazer é isto: pega num folha ou abre uma página de texto no teu computador e responde às 15 Perguntas Poderosas, contudo simples, aqui a seguir:


1. O que é que dás por ti muitas vezes a pesquisar durante horas no Google?
2. Há algum tópico que te entusiasma só de pensar nele?
3. Por que assunto é que tens um vício em aprender sempre mais?
4. Sobre que assunto dás por ti a ser capaz de falar e/ou fazer durante horas até ao ponto de perderes noção das horas?
5. Como é que costumavas brincar em criança? Que brinquedos ou brincadeiras escolhias?
6. Quando entras numa livraria, a que secção é que te diriges mais naturalmente?
7. O que é que farias mesmo que não fosses pago para o fazer?
8. Que dons ou habilidades é que tens que gostarias de tornar acessíveis aos outros?
9. Qual foi o período ou tempo na tua vida em que te sentiste mais criativo?
10. O que é incrivelmente fácil para ti?
11. O que é que farias se fosses pago simplesmente para existir?
12. O que farias se ganhasses o Euromilhões e, portanto, tivesses a tua subsistência garantida?
13. Que lições é que usualmente ensinas aos outros por força se seres quem és?
14. O que costumam elogiar em ti?
15. O que gostarias de fazer no teu dia-a-dia, usando as tuas habilidades e interesses, que pudesse trazer algo de significante para as pessoas?


Estas perguntas irão ficar a trabalhar no teu subconsciente. O importante é que respondas a cada pergunta sem pensar muito. Deixa-te escrever tudo aquilo que te vier à cabeça, sem censuras. Podes sempre cortar as afirmações ridículas depois, para além de que isto é para ti, não é nenhuma tese para o mundo.  

É também muito importante que escrevas mesmo. Escrever as coisas permite-te fazer ligações que nunca antes tinhas feito, uma vez que as estás a ver escritas no papel. Também faz com que o teu cérebro se "liberte" das ideias e preocupações para dar espaço a outros pensamentos.




E agora, o que concluis? Que padrões apareceram com as tuas respostas?



segunda-feira, 23 de setembro de 2013

LOOK | Como (não) ter um estilo próprio definido (bis)

www.pinterest.com/lookaday/style/
Por aqui está-se numa fase de mudanças, literais, e , por isso, o tempo está temporariamente mais contado, mas para não ficarem sem conteúdos dos bons, ficam com a reposição de artigos antigos! ;)

Uma boa fatia das clientes que já tive até agora tem como objetivo o seguinte: ter um estilo próprio definido! Geralmente, o que sentem é que têm coisas muito diferentes e dispersas no armário e que as peças não se interligam e que o seu estilo altera muito de um dia para o outro. Daí surge a necessidade e vontade de 'encontrarem' o seu estilo que, normalmente, se prende com uma ideia pré-concebida de que temos que nos inserir em alguma categoria de estilo por alguém definida - que tem que haver uma gavetinha, apenas, onde nos possamos arrumar. Também sentem isso? 

E o que acontece é que essa sensação gera muita ansiedade, porque é praticamente impossível chegarmos a um guarda-roupa homogéneo e coerente, dentro, claro, daquela ideia de categoria de estilo que temos na nossa cabeça.

www.pinterest.com/lookaday/style/

A dica, então, é a de que, simplesmente, se livrem dessa crença e necessidade de se rotularem. É normal não termos apenas um estilo, não nos inserirmos a 100% na categoria clássico ou desportivo ou vintage. É normal gostarmos e termos peças de influências diferentes e de estilos distintos. É essa mistura e a junção de todos os nossos gostos que constituem o nosso estilo. As misturas e a heterogeneidade é o que impera no momento, a todos os níveis - todos temos várias faces e várias dimensões e é perfeitamente normal que essa diversidade se reflita também no nosso estilo e guarda-roupa.

Portanto, se gostam de elementos muitos femininos mas ao mesmo tempo adoram certas peças masculinas, não se sintam mal nem confusas - incorporem as várias referências nos vossos looks, misturadas ou de acordo com o vosso estado de espírito, e é esse resultado que vai criar o vosso estilo único e pessoal. 

As imagens, em especial a que está em seguida, exemplifica bem o que é ter um estilo próprio sem rótulos - renda estilletos mega femininos conjugados com uma sweater bem desportiva e boyish. Gostos diversos criaram, aqui, um look e estilo diferente e distintivo.

www.pinterest.com/lookaday/style/

Outra dica se também sentem dificuldade, antes de tudo, em saber do que gostam e o que constitui o vosso estilo: criem o vosso próprio stylebook! Num pequeno caderno ou online, através de um blog, Tumblr ou conta de Pinterest, recolham e guardem tudo aquilo de que gostam, que captou o vosso olhar ou com que se identifiquem. Recortem imagens de revistas, naveguem por blogs e guardem os looks e inspirações que tocaram o vosso coração. Registem tudo no vosso caderninho ou stylebook online e ao fim de algum tempo esse vai ser o vosso verdadeiro livro de estilo. Todas as diferentes influências que recolheram vão refletir, assim, o vosso gosto e estilo único! ;)

Libertarem-se dessa ansiedade e confusão estilística é meio caminho andado para ganharem mais confiança na vossa imagem e no geral. Comprovado na primeira pessoa, porque eu era um desses casos! ;)



E desse lado, também costumam sentir que não têm um estilo definido? Ou já abraçaram todos os vossos gostos e guarda-roupa 'caótico' sem problemas?



sábado, 21 de setembro de 2013

GIVEAWAY LOOK A DAY | VENCEDORA Pulseira mustache da Pearl Store


passatempo acabou às 23:59 de ontem, dia 20 de Setembro, e de entre as 62 participações foi sorteado um/uma vencedor/a pelo random.org. Foi uma sortuda que ganhou esta pulseira com um bigodinho preto da Pearl Store: a Ritchinha Raimundo!! Parabéns! ;) Receberá, em breve, o seu prémio.

Obrigada aos restantes pela participação e melhor sorte para a próxima! ;)




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...